segunda-feira, 26 de julho de 2010

Velhos Tempos...Recordações Presentes !


Sempre gostei de fotografia, não sei se, por ter sido criado num daqueles velhos estúdios (quarto escuro)  em que o meu querido e adorado avô (fotógrafo de profissão) passava a maior parte do tempo a passar papéis, vezes sem conta, por líquidos assim meio "cheirosos", mas recordo com nostalgia as tardes que lá passava ,e de ver aparecer imagens de simples folhas de papel branco...
O meu avô faleceu na década de 90 e deixou algumas máquinas com que costumava trabalhar. Sabia da sua existência, mas sinceramente, nunca me dediquei a aprofundar o que realmente existia, pois com o aparecimento da fotografia digital, que muito uso, o analógico, como é do vosso conhecimento caiu em desuso.
Mas ontem, o bicinho da curiosidade invadiu-me o corpo, e fui dar uma vista de olhos ao fundo do baú, tendo encontrado três magnificas máquinas, que me deixaram de boca aberta pela sua beleza e solidez de construção.
A primeira, pelo que apurei é uma (muito rara) TELKA III que segundo descobri, remonta à década de 30 e só foram feitas cerca de 10.000 unidades em todo o mundo, o que a torna rara nos nossos dias.
Para terem uma ideia é uma igual a esta...


Depois, e para me surpreender mais um pouco, sou presenteado com uma Rolleiflex  também lindíssima e com alguns sinais de uso, pois também não é de admirar, porque era a sua máquina de trabalho diário.
Para visualizarem do que estou a falar, é de uma coisa maravilhosa como esta, que ontem me passou pelas mãos.


Por fim, a mais recente e a que sinceramente ainda tenciono dar uns tiros brevemente é outra Rolleiflex, mas da década de 70, uma SL 35.
De design mais moderno e atraente, com a possibilidade de ainda se encontrar rolos sem dificuldades (espero eu...) esta vai trabalhar em breve na minhas mãos. Vem equipada com umas excelentes lentes Carl Zeiss e segundo a minha avó me disse, ainda "parece" que tem outras lentes, na casa dela...
Realmente tenho uma vaga ideia de o meu avô "trocar" de lentes quando ia fazer casamentos e baptizados.
A máquina em causa é uma destas e que gostei muito de a ter ao pescoço

Vamos lá ver se me entendo a trabalhar com isto, pois é uma mudança radical, principalmente porque vou ver se ainda me recordo de como colocar rolos nesta coisa.
Vivendo numa sociedade em que os cartões SD e afins proliferam, disparar com uma máquina destas,  é  certamente voltar atrás no tempo, viajar para uma época diferente, em que tudo era mais belo, mais simples e menos perigoso.
Certamente a qualidade de uma foto tirada por esta máquina não se comparará ás de hoje em dia, mas com um bocadinho de sorte ainda apanho o Dom Sebastião numa qualquer manhã de nevoeiro! Mas certamente o resultado final  vai "valer" o esforço.
Prometo desde já, mostrar aqui, os resultados obtidos com esta SL35, enquanto isso as outras vão continuar em família e não são para vender, a não ser que apareça um multimilionário a dizer que quer um TELKA III na colecção...é tudo uma questão de num€ros!

5 comentários:

Caia disse...

Verdadeiras relíquias!

Uma sorte... ;)

W123 disse...

Penso que sim ;)
Vamos ver o que ainda conseguem fazer, perante as novas tecnologias...Vai ser certamente uma "batalha" interessante de se acompanhar ;)

Marta disse...

Tu tens uma sorte incrível. Estima-as bem.
Como sabes eu adoro fotografia e adoro máquinas antigas. Também tenho uma que o meu avó me deixou e que está religiosamente guardada.

Beijos

W123 disse...

Achas que tenho assim uma sorte tão grande? E que tal um destes dias convidar-te para o "tal" café e manuseares estas relíquias?
Acho que vais adorar, não?

Beijos

gabyzabe disse...

Tive a oportunidade de conhecer a Telka III. Nossa, ela é maravilhosa! Fiz fotos maravinhosas dela em um ensaio sensual. O que falar da Rolleiflex?...sem palavras! Amei o post, parabens